Moldagem por injeção

Para produtos de uso diário. Sistemas centrais complexos ou aparelhos individuais para sectores como o automóvel, a electrónica, os electrodomésticos, a medicina, etc., assim como produções em espaços limpos.

Descrição do processo

A moldagem por injeção é um processo de fabrico descontínuo, de estágios múltiplos, em que são produzidas peças pré-fabricadas de termoplásticos e duroplásticos.

Produtos finais habituais

Produtos para o consumidor final em grandes quantidades, p. ex., tampas, fechos, artigos automobilísticos e para embalagem. Com o processo de moldagem por injeção são produzidas peças pré-fabricadas. O produto final não é um granulado e, por conseguinte, não é produzido em lotes, ou seja, em unidades de peso.

Processo

Os materiais de base são doseados para um cilindro aquecido, misturados homogeneamente através de um sem-fim e, de seguida, injetados num molde. Quando o plástico derretido tiver arrefecido e endurecido, o molde abre-se e a peça pré-fabricada é ejetada.

Materiais habituais

Por norma, são utilizados polímeros crus granulados e compostos. Estes provêm sobretudo da área dos termoplásticos; por vezes, porém, também provêm da área dos duroplásticos e elastómeros. Para além disso, também são utilizados materiais reciclados e aditivos.

Descrição do sistema/equipamento motan

Sistemas centrais ou aparelhos individuais complexos das áreas da secagem, bombeamento, dosagem e mistura são utilizados nos setores habituais de fabrico de automóveis, eletrónica, produtos domésticos, medicina e embalagem.

Agregados habituais da área da mistura e dosagem

Dosagens de aditivos (MINICOLOR, COLORBLEND) ou dosagens para aumento de peso (GRAVICOLOR, ULTRABLEND).